3 dias, 6 filmes, 1 erro

Nos últimos três dias, assisti seis filmes. Adorei quatro deles, um deles foi simpático, mas nada demais, o outro foi um suplício, mas resisti até o final pelo ingresso pago.

Na quarta, fui à cabine de Não se preocupe, nada vai dar certo, o filme indiferente da lista. Brasileiro, simpático, numa linha tragicômica com um daqueles finais positivos que te fazem sair do cinema com um sorriso. Não é que o filme seja ruim. Não, ele é apenas normal. Ou, como disse acima e no twitter, “simpático” [que é um desses adjetivos que podem ser bem genéricos, embora talvez não devessem]. Dos pontos positivos do filme, a dupla Gregório Duvivier (“Apenas o fim“) – Tarcísio Meira funciona bem. Dos negativos, achei a personagem de Flávia Alessandra forçada (o de Tarcísio Meira também é um pouco). O filme estreia nos cinemas dia 05/08.

Depois, assisti Velvet Goldmine, que havia baixado há tempos. Gosto dos três atores principais – Jonathan Rhys Meyers (The Tudors), Ewan McGregor e Christian Bale – e adorei o filme (não só pelos atores). Os personagens de Meyers e McGregor são roqueiros fictícios do glam rock londrino dos anos 70. Já Bale é Arthur, um jornalista que vai investigar o paradeiro de Brian Slade, o personagem de Meyers. Acho que este é um desses filmes que é melhor ver sem ler sinopses. Sua narrativa é construída ao mesmo tempo em que Arthur vai descobrindo detalhes da vida do cantor por meio de entrevistas com pessoas próximas a ele. O espectador vai junto e também começa a conhecer melhor o próprio jornalista. Além dos personagens e do roteiro, visual e trilha sonora também são incríveis.

Fechei o dia com a animação “Como treinar seu dragão“, que é uma graça!! A história do Viking diferente, que não queria matar dragões, tem traços previsíveis – especialmente no começo, mas depois melhora, ainda que tudo saia como planejado. Mas nada disso estraga o encanto dos personagens. Gerard Butler duplando o Viking chefe da aldeia dá um toque a la “300“.

Aí ontem resolvi me arriscar com um filme do Anima Mundi. Gosto de ver filmes às cegas, mas ontem isso foi um erro. Desrespeitei a regra número 1 do consumo saudável de filmes às cegas: sempre olhar a sinopse por cima. Cai em uma animação japonesa para crianças, com uma dublagem terrível e sem entonação. Chama-se A Luz do Rio e, como não tenho mais 5 anos, achei o filme um tédio interminável. E ele só tinha 1h15. Resisti pelo ingresso pago (pensei em abandonar a sessão pensando que fora um ingresso barato, mas fui forte, me iludindo com possibilidades de melhora). A história é a de uma família de ratos de rio que é expulsa de sua casa na árvore devido à construção de uma hidrelétrica. A partir de então, eles precisam encontrar uma nova casa. O filme tem mensagens ecológicas, de solidariedade e amor familiar. Talvez agrade uma criança, mas a dublagem sem entonação que fizeram em português acabou com toda a poesia da animação japonesa (que tem daquelas frases de efeito orientais que dubladas perdem todo sentido).

Para compensar, hoje vi o francês Minhas tardes com Margueritte, com Gérard Depardieu e Gisèle Casadesus, um filme lindo, bem poético, sobre o poder transformador da literatura – e do amor. Tudo se dá no encontro e nas trocas entre os dois personagens solitários interpretados pelos atores acima. Emociona bastante.

Depois resolvi confundir a cabeça com Amnésia, outro que nunca tinha visto e gostei bastante. Achei interessante a trama ser desvendada de trás para frente e a fotografia ir ficando preto e branco. Ainda estou intrigada com o final, que te faz repensar todas as suas impressões sobre o personagem principal, Leonard (Guy Pearce).

Anúncios

Tags:, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: