Dois nacionais em tempos de Oscar

Colocar um filme nacional em cartaz em tempos de Oscar parece (e imagino que seja) um grande suícidio. O assassinato do filme. Nosso cinema, salvo raras exceções, não costuma ser muito prestigiado em sua própria terra; concorrendo com os grandes destaques cinematográficos do ano então, fica difícil.

Talvez as distribuidoras de “O Samba que mora em mim” e “Malu de Bicicleta” não tenham imaginado que “Cisne Negro” e “O Discurso do Rei” dariam tanto o que falar. Mas deviam.

“O Samba que mora em mim” estreou por aqui nesta sexta, dia 11, mesma data de “O Discurso do rei”Bravura Indômita. O documentário fez sucesso na última Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, levando o Prêmio Especial do Júri Oficial – Documentários. Em sua estreia no grande circuito, no entanto, foi pouco comentado. O documentário retrata os moradores do Morro da Mangueira, que tem o samba em suas vidas, mas cujos relatos nem sempre falam de samba. É um belo filme, com bons personagens e um bonito trabalho de câmera.

Já o simpático “Malu de Bicicleta” estreou dia 4 de fevereiro, junto com“Cisne Negro”. E, igualmente, não rendeu comentários apesar de ter tido destaque nos Festivais do Rio (2010)Tiradentes (2011) e Paulínia(2010). No longa, Fernanda de Freitas e Marcelo Serrado são um casal inusitado, fruto da persistência de ambos; vítima do ciúme e da inveja. É um filme simples, com um ar de telefilme, mas os personagens e os cenários em que se passa  (uma praia carioca e uma antiga fábrica transformada em balada em São Paulo) têm seu charme.

Se chegassem ao circuito comecial em uma época diferente, acredito que tais longas atrairiam seu público. Há poucas semanas do Oscar – e disputando com os principais indicados da Academia de Hollywood – os longas nacionais perderam sua chance. Nessa hora, fico pensando se foi um erro inocente das distriuidoras ou se elas simplesmente descartaram seus filmes.

Enquanto isso, o Cine Belas Artes anunciou que fechará suas portas no dia 24 de fevereiro. São caminhos tristes estes que o nosso cinema tem trilhado.

Detalhes:

O Samba que Mora em Mim
País: Brasil
Diretora: Georgia Guerra-Peixe
Fotografia: Marcelo Rocha
Trilha Sonora: Dimi Kireeff
Ano: 2010
Estréia: 11 de fevereiro de 2011
Salas de exibição

Malu de Bicicleta
País: Brasil
Diretor: Flávio Ramos Tambellini
Fotografia: Gustavo Hadba
Trilha Sonora: Dado Villa-Lobos
Ano: 2010
Estréia: 04 de fevereiro de 2011
Salas de exibição

Texto escrito e publicado hoje no Vereda Estreita.

Anúncios

Tags:, , , , , , , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: