FLIP: Moser e Zilly discutem papel da literatura brasileira no exterior

Na última mesa dedicada a discussões da FLIP 2010, americano Benjamin Moser e o alemão Berthold Zilly (foto) debateram o papel da literatura brasileira e sua penetração no exterior. Ambos tem uma relação muito forte com o Brasil, falam um português fluente e acreditam que o Brasil precisa se divulgar melhor.

Moser, biógrafo de Clarisse Lispector, acredita que a melhor forma de fazer com que um estrangeiro se interesse pelo nosso país é trazê-lo para cá. “O Brasil é um país muito fácil de se gostar, tem muita coisa atraente. Quem vem aqui sempre gosta!”, explica o americano que se interessou por nosso país ao ler ‘A Hora da Estrela’ [de Clarisse Lispector].

O encanto para Zilly veio com ‘Os Sertões’ [de Guimarães Rosa], em 1968. Hoje ele leciona no Instituto Latino-Americano da Universidade Livre de Berlim e afirma que a literatura tem um importante papel na construção da imagem de nosso país no exterior. “A literatura não deve ser funcional, mas ela tem condições de desconstruir a imagem negativa que o Brasil tem lá fora.”

Tendo tido acesso a grandes obras de nossa literatura, o mediador Claudiney Ferreira lembra que muitos estrangeiros conhecem apenas nomes como o de Paulo Coelho, muito mal visto por nossa crítica literária. Falando do autor, Moser disse que os brasileiros não precisam ter vergonha por ele ser brasileiro. “Ele é o segundo autor mais lido no mundo, e é lido no exterior como qualquer outro autor de ficção. Se nós [os norte-americanos] tivéssemos vergonha de toda a merda cultural que a gente esporta…”, falou, divertindo a plateia e deixando uma reflexão no ar.

Zilly destacou que a literatura brasileira se distingue pela grande riqueza de culturas: “O Brasil tem em si uma mistura de países, índios, italianos, japoneses… É um país muito rico. A oralidade também é muito presente na literatura brasileira e isso traz uma riqueza fantástica.” Apaixonado pela nossa língua, o alemão comentou que o português é uma língua maravilhosa “porque te dá carinho! É uma língua que te acolhe, ela é gostosa de falar.”

Fechando um dia inspirado nas palestras e mediadores, Moser e Zilly só fizeram elogios à nossa literatura e criticaram a imagem que o nosso país vende de si mesma. “O Brasil não é só futebol, carnaval e belas mulheres”, destacou Zilly.

Matéria escrita e publicada domingo (08) no Portal da RedeTV durante a cobertura da FLIP 2010.

Anúncios

Tags:, , , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: