FLIP: Crumb e Shelton protagonizam mesa bem humorada

Obrigados pelas esposas a participarem da FLIP, os quadrinistas Robert Crumb e Gilbert Shelton divertiram a plateia que lotou ambas as tendas do evento (autores e telão), com piadas, elogios ao Brasil e expressões estranhas (grunhidos, contorções na cadeira – esquisitices típicas de Crumb, diriam os fãs).

Amigos há 40 anos, Crumb diz que não se lembra bem de quando conheceu Shelton. “Eu devia estar fumando muito”, brincou Crumb, que contou que conhecia o trabalho do colega antes deles se conhecerem, se tornarem amigos e colegas de trabalho. Shelton lembrou que no começo era difícil trabalhar, não favia dinheiro e era sempre muito trabalho. Apesar disso, Crumb, saudosista, soltou um “ah, aqueles eram os dias!”

Ambos os quadrinistas foram amigos de Janis Joplin nos anos 60 e, anti-sociais que são, não gostam muito de falar sobre a cantora. Mas, interrogado pelo mediador Sérgio Dávila, Crumb respondeu rindo que Janes Joplin ainda estaria viva hoje se tivesse largado a música folk.

Felizes com a oportunidade de conhecer o Brasil e aproveitando a liberdade oferecida pela idade, os quadrinistas não pouparam elogios às mulheres brasileiras. “O Brasil é a terra prometida se você gosta de bundas grandes”, disse Crumb, que chamou o amigo de tímido por ele estar calado. Reagindo, Shelton foi mais discreto ao dizer que “as mulheres brasileiras são muito gentis, altas e morenas”.

Sobre sua obra mais conhecida, a versão ilustrada do ‘Gênesis’, Crumb afirmou ter ficado fascinado com as histórias: “Primeiro achei que podia fazer uma sátira, mas as historias são tão estranhas, que eu só as ilustrei”, contou, sempre muito bem humorado.

A certa altura, a esposa de Crumb e também quadrinista Aline Kominsky subiu ao palco, se dizendo feliz com o convite “após ter sido desprezada por 40 anos!”. Embora tenha desviado a conversa para o casal Crumb-Aline e entediado o já calado Gilbert Shelton, a participação mostrou um pouco da dinâmica de trabalho do casal. A quadrinista contou que os fãs de Crumb a odiavam: “ele escreviam cartas para ele me tirar da página”, contou rindo.

Com falhas na mediação, a participação de Aline quebrou o ritmo da mesa e desviou ainda mais a atenção de Shelton que, além de menos conhecido pelo público presente ao evento, é também muito calado e, durante a mesa, apenas citou seus trabalhos ‘Fritz, the Cat’ e os ‘Freak Brothers’.

Matéria escrita e publicada sábado (07) no Portal da RedeTV durante a cobertura da FLIP 2010.

Anúncios

Tags:, , , , , , , ,

One response to “FLIP: Crumb e Shelton protagonizam mesa bem humorada”

  1. Caio says :

    Será que Gênesis é mais conhecido que Fritz, the cat? Mais badalado, com certeza. Mais conhecido, não arriscaria.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: