Karl Max e a vida de um motoboy ilegal em Londres

Nesta quinta-feira (29) é comemorado o Dia do Motociclista. Em homenagem à data, o documentário ‘Karl Max Way – A Ilegalidade é uma Ficção’, que retrata o dia-a-dia de um motoboy ilegal em Londres, terá uma sessão especial em São Paulo.

Dirigido por Flávia Guerra e Maurício Osaki, o filme apresenta ao espectador o jovem Karl Max, “como o filósofo, mas sem o R”, disse o jovem à Flávia, quando falava de seu nome. A diretora conta que encontrou seu personagem enquanto pesquisava sobre a vida dos imigrantes ilegais que trabalham como motoboys na capital inglesa. “Comecei a reparar que todos os motoboys de Londres comiam comida brasileira e falavam português. Conheci o Max em uma visita à uma oficina, que é super importante para o filme [e que funciona como espaço de convivência para os imigrandes brasileiros]. Primeiro ouvi ele falando e aí quis conversar com ele”, diz.

“É um filme sobre um brasileiro. Não é um filme de classe”, explica Flávia, mostrando que ‘Karl Max Way’ não interessa apenas à classe dos motoboys. “As pessoas não sabem direito como funciona a vida dos brasileiros lá fora. Se não fosse pelo Jean Charles [assassinado no metrô londrino em 2005], muita gente nem saberia que há tantos brasileiros em Londres.”

Por azar e sorte, brinca Flávia, Max sofreu um acidente de moto durante as filmagens e passou 40 dias em um hospital da capital inglesa. “Eu tinha outra ideia de filme quando começamos a filmar, aí ele quebrou o pé e a história mudou. O Max é um brasileiro representativo, mas que muita gente não conhece”, conta Flávia.

Ao contrário do que se pode imaginar, o tratamento médico recebido por Max foi exemplar: “todos no hospital sabiam que ele era ilegal, mas sempre o trataram como se ele fosse inglês. Eles podiam deportar o Max a qualquer hora!”

Dono de uma consciência de vida incrível, Flávia conta porque Max mereceu um filme só seu: “Ele é muito especial, é gostoso ouvir as histórias dele.” A diretora conta que, quando perguntou ao rapaz sobre seu nome, ele lhe respondeu que sua mãe gostou muito de ‘O Capital’ (de Karl Marx) e como seu pai se chama Max, fez uma mistura dos dois. E, segundo Flávia, ele logo emenda: “mas o outro era socialista, eu sou capitalista, estou em Londres atrás do capital”.

‘Karl Max Way’ propõe uma discussão sobre a legalidade, o pano de fundo do documentário. Afinal, contesta Flávia, “tudo é muito relativo. A legalidade é você viver em um pais, trabalhar para ele, movimentar a economia local ou é você ter um papel? Cidadania não é só um papel no bolso.”

Serviço:
Exibição do documentário ‘Karl Max Way – A Ilegalidade é uma Ficção’
Onde: Espaço Unibanco de Cinema
Quando: quinta dia 29
Quanto: grátis, retirada de ingresso 1h antes da sessão

Matéria escrita e publicada hoje no Portal da RedeTV.

Anúncios

Tags:, , , , , ,

2 responses to “Karl Max e a vida de um motoboy ilegal em Londres”

  1. Julio Cesar says :

    Matéria muito interessante e acho que vou postar o video no meu Site http://www.aluguemotoboy.com.br/ … Dizem que mesmo com esses transtornos os Motoboys Brasileiros em Londres ganham bem..

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: