Destinado à sorte?

Posted on 8/março/2009 by Cinéfilos

Como pode um menino nascido nas favelas da Índia chegar ao prêmio de 10 milhões de rupias no “Show do Milhão” indiano? Trapaça? Sorte? Destino? Jamal (Dev Patel) é o simpático protagonista de Quem quer ser um Milionário? (Slumdog Millionaire), filme vencedor de 8 Oscars neste ano. Ele esta a um passo de ganhar os 20 milhões de rupias (cerca de 1 milhão de reais) do prêmio final, mas não faltará quem duvide da honestidade do rapaz.

O filme dirigido por Danny Boyle levou os tão cobiçados Oscars de Melhor filme, diretor, fotografia, roteiro adaptado, trilha sonora, canção original (Jai ho), mixagem de som e montagem. De todos, o único que não achei merecido foi o de canção original: “Jai Ho” é uma música simpática, mas só aparece nos créditos finais do filme e a música “Down to Earth” da animação vencedora do Oscar Wall-E é mais tocante e merecia mais. De resto, há tempos não via um Oscar de melhor fotografia tão merecido, o filme tem um lindo colorido e ótimos enquadramentos. Um visual que ajuda a compor o toque indiano-festivo, e contrasta com a vida dura de Jamal.

Muitos críticos disseram que há tempos a Academia não premiava um filme tão sem graça. Discordo totalmente. Quem quer ser um Milionário tem elementos que agradam a todos os tipos de espectadores: romance, ação, crítica social, retrato da miséria de um país, bons atores, uma mocinha deslumbrante, uma linda trilha sonora, bom roteiro e desenvolvimento da trama, uma fotografia deslumbrante. Quer mais? O mocinho, apesar de feio, é de uma simpatia que nos faz torcer por ele e pelo sucesso de seu amor com Latika (a bela Freida Pinto).

A história, caso você ainda não tenha lido isto milhões de vezes, é a vida de Jamal contada ao inspetor de polícia que pensa que o rapaz trapaceou para conseguir chegar ao elevado prêmio do programa de tv que nomeia o filme em português. A partir da suspeita de que alguém tenha passado as respostas para ele, Jamal relata episódios de sua vida que justificam por que sabe as respostas para as perguntas, em um programa onde a maioria das pessoas não passa das 10 mil rupias.

O que vemos na tela são as dificuldade de um menino pobre, que ficou órfão muito cedo e que foi traído até pelo irmão mais velho. Suas desventuras como garoto de rua, a perda trágica de sua mãe, seus sucessivos desencontros com Latika, o amor de sua vida desde o primeiro encontro. Em uma cena, Jamal diz ao inspetor que “quisera não saber a resposta para aquela pergunta, talvez minha mãe ainda estivesse viva”. Esta fala pode ser uma boa forma de resumir o filme: se sabe respostas consideradas difíceis, é porque as aprendeu na adversidade, a custo de muita dor e sofrimento.

Republicado neste blog em 14/06/2011 – atribui uma data aleatória apenas para manter o texto aqui como registro, já que este blog ainda não existia na data de publicação do texto acima. O site Cinéfilos, projeto da Jornalismo Júnior, empresa júnior de jornalismo da ECA-USP, agora está hospedado no http://cinefilos.jornalismojunior.com.br/.

Anúncios

Tags:, , , , , , , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: